Empresa • Histórico

Em 1996, um consórcio formado por onze empresas, denominado Consórcio GEAM - Grupo de Empresas Associadas Machadinho venceu a licitação para, em parceria com a Eletrosul, implementar o projeto de construção da Usina Hidrelétrica de Machadinho.

Em 1997, as empresas constituintes do Consórcio GEAM e a Eletrosul formaram o Consórcio Machadinho para a realização do Projeto. As atividades de administração, planejamento e engenharia ficaram a cargo do Consórcio Machadinho, enquanto a execução e o controle da operação e da manutenção da UHE Machadinho a cargo da Eletrosul (sucedida pela Gerasul, atual Tractebel Energia S/A).

As onze empresas que formavam o Consórcio GEAM constituíram, em 4 de março de 1999, a MAESA – Machadinho Energética S/A, uma sociedade de propósito específico com a finalidade de contratar o fornecimento de bens e serviços necessários à implantação do empreendimento, obtenção do financiamento e fornecimento de garantias correspondentes para a construção da UHE Machadinho. No mês de dezembro de 1999, o Consórcio GEAM foi extinto, sendo todos os seus ativos incorporados à MAESA.

A MAESA tem como objeto: (a) construir e manter a propriedade parcial da Usina Hidrelétrica de Machadinho, podendo inclusive arrendá-la ou, de outra forma, dispor dos seus ativos para fins de exploração desta pelos acionistas; (b) prestar serviços de assistência técnica no campo de suas atividades; e (c) participar em outras sociedades ligadas à construção e/ou exploração da UHE Machadinho.

O Contrato de Concessão na forma Compartilhada para Geração de Energia, entre a ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica e o Consórcio Machadinho, formado pelas 11 (onze) acionistas da MAESA e a Tractebel, tem o número 009/97, foi assinado em 15 de julho de 1997 e vigorará pelo prazo de 35 anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

Desde a criação da MAESA, em 1999, ocorreram algumas alterações na participação de empresas integrantes da sociedade, sendo que o quadro societário atual, em setembro de 2008, tem a composição demonstrada abaixo:

Empresa

Participação (%)

Companhia Brasileira de Alumínio - CBA

33,1365

Alcoa Alumínio S/A

30,9934

Valesul Alumínio S/A

9,9840

Votorantim Cimentos Brasil Ltda

6,7633

Companhia Estadual de Geração e
Transmissão de Energia Elétrica - CEEE-GT

6,6580

Camargo Corrêa Cimentos S/A

6,3522

Departamento Municipal de Eletricidade
de Poços de Caldas – DME-PC

3,2899

Tractebel Energia S/A

2,8227

Total

100,0000



A MAESA, além de levantar recursos para financiar a construção da UHE Machadinho, foi responsável pela implantação de programas sócio-ambientais, fornecimento de energia elétrica, aço e cimento durante a construção da Usina, e implantação do reservatório.

Os recursos necessários para a construção da Usina foram obtidos através de uma estrutura de “Project Finance”, envolvendo aporte de capital e captação nos mercados financeiro e de capitais. Os recursos necessários ao pagamento dos compromissos financeiro e das suas despesas operacionais são obtidos exclusivamente mediante arrendamento dos ativos da Companhia aos seus acionistas.

Os acionistas da MAESA têm o direito de receber o fornecimento garantido de 3.434 GWh por ano, enquanto a Tractebel Energia S.A. tem direito à energia gerada pelo Empreendimento que exceder o volume de energia supracitado.

É importante ressaltar que os acionistas da MAESA, e não a MAESA em si, detêm os direitos de utilização da energia gerada, cabendo à MAESA somente arrendar o seu ativo imobilizado do Empreendimento aos acionistas.

A construção da UHE Machadinho contribuiu com um incremento de 1.140MW de potencia instalada ao sistema interligado brasileiro. A Usina entrou em operação no ano de 2002, na respectiva cronologia: (i) máquina 1: fevereiro/2002; (ii) máquina 2: abril/2002 e (iii) máquina 3:julho/2002. 


© MAESA Machadinho Energética S.A. 2009. Todos os direitos reservados.